Planeje seus artigos

DocumentoUma carreira acadêmica é composta, entre outras coisas, pelas publicações, pelas orientações, pelas aulas ministradas e pelos projetos de pesquisa. Acho importante começar discutindo o planejamento da produção bibliográfica. Esta produção é a parte mais visível do trabalho acadêmico, pois as publicações mostram o resultado de nossa atividade para o mundo, é a forma de sermos conhecidos pela comunidade. Complementarmente o aumento da pressão na avaliação acadêmica por meio da contagem das publicações – publish-or-perish – tem trazido uma grande incerteza e angústia para muitos alunos e professores. Vou procurar auxiliar na compreensão deste assunto oferecendo uma visão geral e estratégica sobre como planejar escrever artigos científicos. No final da página há uma lista de apontadores para material que descreve a parte técnica da redação de artigos.

Um texto científico tem características diferentes de uma crônica ou de um texto para um público geral. Encontrei esta definição de crônica:

A crônica é um gênero híbrido que oscila entre a literatura e o jornalismo, resultado da visão pessoal, particular, subjetiva do cronista ante um fato qualquer, colhido no noticiário do jornal ou no cotidiano. É uma produção curta, apressada (geralmente o cronista escreve para o jornal alguns dias da semana, ou tem uma coluna diária), redigida numa linguagem descompromissada, coloquial, muito próxima do leitor.”

ASES – Associação de Escritores de Bragança Paulista  

Por outro lado, um texto científico precisa ter outras características. Um texto científico deve apresentar uma hipótese, apresentar um problema a ser resolvido, ou apresentar uma nova idéia. Só esta apresentação não é suficiente, é preciso que sejam apresentados dados que justifiquem a hipótese, mostrem que a resolução proposta do problema é válida ou que a nova idéia tem fundamento suficiente para ser seguida. Além disto este artigo deve apresentar dados e detalhes suficientes para uma boa compreensão do tema e para que os demais pesquisadores da área possam repetir as condições e validar as proposições.  

Mas para termos um bom artigo é preciso que consigamos convencer o público leitor mesmo sendo este um público científico, treinado para ser objetivo, você não conseguirá escrever um bom artigo se não acreditar verdadeiramente em seu trabalho. O autor deve convencer, deve conquistar o leitor, sem paixão pelo seu trabalho isto é muito difícil! Para conquistar um leitor, e antes disto um revisor, é preciso chamar a atenção. Um título e um resumo que dêem uma boa visão do que será apresentado são essenciais. 

Uma dúvida corrente: quanto eu tenho que publicar? O primeiro indicador a ser considerado é o documento de área da CAPES (2001-2003) que indica como níveis adequados de artigos nível A e B no QUALIS.  

PERFIL DE PRODUÇÃO 

Fazendo-se um sumário do quadro de produção científica qualificada da área, tem-se as seguintes faixas de artigos completos qualificados por ano por docente (agregado de periódicos, congressos nacionais e internacionais, considerados como os principais indicadores de produtividade na área) 

  • Cursos nível 7: acima de 2,2, 

  • Cursos nível 6: acima de 1.8 

  • Cursos nível 5: acima de 1,2 

  • Cursos nível 4: acima de 0,6 

  • Cursos nível 3: acima de 0,3

Utilize estes índices para se auto-avaliar em relação aos critérios esperados dos programas de PG. A partir deste referencial a resposta depende de sua função: aluno ou professor.

Se você for um aluno temos três categorias:

Categoria de aluno

Perfil esperado

Graduação Pelo menos uma publicação nacional relacionada com seu trabalho de diplomação. Se você for bolsista de Iniciação Científica será esperada uma ou mais publicações sobre seu trabalho de pesquisa.
Mestrado Se você for bolsista CAPES/CNPq ou outro, espera-se que termine o mestrado com algumas publicações qualificadas sendo, pelo menos uma, internacional como resultado de sua dissertação. Se for aluno com tempo parcial a sua dissertação deve gerar pelo menos uma publicação nacional.
Doutorado Neste caso os critérios devem ser bem mais altos. No doutorado espera-se que o aluno adquira capacidade de trabalho independente e criativo. Esta capacidade deve ser demonstrada pela criação de novo conhecimento validada por publicações em bons veículos científicos ou pela obtenção de patentes. Espera-se alguns artigos em bons workshops e congressos internacionais e um artigo em revista qualificada sobre o resultado da tese

Se você for professor a resposta sobre a produção bibliográfica depende de sua carga de ensino, podemos criar três categorias baseados no número de horas por semana de aulas. Notem que isto é apenas uma tentativa de estabelecer critérios, há uma grande variação no número de  horas dedicadas a administração e há, também, uma grande variação no apoio administrativo recebido pelo pesquisador da Universidade. 

 

Horas de aula por semana

Perfil esperado

até 12 horas

Universidade

Caracteriza-se por uma Universidade de Pesquisa, este número de horas/aula é compatível com a carga dos professores em universidades dos USA e da Europa. Normalmente a avaliação dos professores tem uma parcela significativa de produção bibliográfica. Nos USA esta produção é essencial para a obtenção de tenure (assunto de uma próxima crônica). 

Pesquisador

Espera-se que o pesquisador tenha uma publicação considerável pois uma boa parte de seu tempo de contrato é dedicada à pesquisa.

de 12 até 24 horas 

Universidade

Situação intermediária, muito comum no Brasil, entre uma Universidade de Pesquisa e uma Universidade de Ensino. Nestes casos espera-se que os professores ligados à pós-graduação tenham uma carga horária de ensino menor para poder dedicar-se à pesquisa que é um requisito para bons cursos de PG.

Pesquisador

A produção esperada depende muito do contexto da Universidade. Se houver a contabilização da produção bibliográfica como uma parcela da carga de trabalho pode ser esperada uma produção  intermediária. Alguns pesquisadores com um alto grau de comprometimento com suas atividades de pesquisa atingem produção quase equivalente aos do grupo anterior. 

acima de 24 horas

Universidade

As Universidades que alocam esta carga de ensino para os seus professores são tipicamente Universidades de Ensino. Normalmente a avaliação dos professores não é feita por suas publicações.

Pesquisador

Não se espera uma grande produção bibliográfica ligada à pesquisa. É muito adequado que sejam obtidas publicações a partir dos trabalhos de conclusão de seus alunos. Seria muito bom que estes professores  escrevessem livros didáticos e artigos ligados ao ensino e a utilização de ambientes e técnicas de EAD.

Planeje a sua produção (para pesquisadores)

É muito difícil ter uma boa produção trabalhando sozinho, pelo menos para a área mais tecnológica da CC. Um ponto importante para o sucesso é o planejamento. Para conseguir isto faça uma revisão dos congressos e das revistas disponíveis. Faça uma reunião de seu grupo e definam as tarefas a serem realizadas com um cronograma, cobre os resultados nas datas. Não disperse as orientações, deixe bem claro quais são os objetivos de pesquisa do grupo e não aceite orientações em temas de interesse exclusivo do aluno. Corra de trabalhos de diplomação do tipo “vou implementar um sisteminha para …”. Faça com que os mestrados sejam realizadas sobre parcelas dos trabalhos de doutorado e que os trabalhos de diplomação auxiliem os mestrados. 

Planeje a sua produção (para alunos)

Trabalhe em grupo, não “sente em cima”  do seu conhecimento, a socialização do conhecimento no grupo é essencial para bons resultados. Não tente “salvar o mundo”  com seu trabalho, se conseguir isto receberá um Nobel… Identifique claramente o problema, procure focar em um tema bem específico. Estude a fundo este problema e encontre uma boa alternativa ou melhoria. Crie! Não se esqueça nunca do método científico: 

  • Propor uma teoria 
  • Experimentar e demonstrar a validade 
  • Duvidar Aceitar ou refutar a teoria inicial
    • Propor uma alternativa 
      • demonstrar experimentalmente 
    • Afirmar o erro da teoria inicial 
      • Demonstrar experimentalmente 

 

Algumas sugestões para o sucesso

Livro de estilo da Wikipédia para se escrever um bom artigo:

  • Seguir as regras gramaticais guardando fidelidade à linguagem oficial;
  • Verificar a terminologia aplicada ao tema;
  • Observar que a diversidade vocabular é desejável, mas não é o mais importante: a simplicidade e o objetivo são prioritários;
  • Evitar termos repetitivos enriquece o conteúdo e impede que o artigo se torne enfadonho;
  • Ter sempre à mão todo o material necessário para a elaboração do artigo evitando interrupções que tiram a concentração.
  • Elaborar sempre rascunhos e fazer revisões, antes da publicação;
  • Ser fiel às origens (fontes) das citações garante a sustentação da sua idoneidade;
  • Ter imparcialidade quando o tema sugerido (principalmente os de natureza polêmica), implicar na observância das diferenças culturais e sociais;
  • Ser autêntico pois as suas idéias dizem exatamente quem é você;
  • Escrever períodos curtos e objetivos.
  • Evitar expressões temporais como atualmente, ano passado. Lembre-se que os artigos poderão ser lidos daqui a 5 anos, por exemplo

Escolhendo a conferência

  • Procure informação sobre edições anteriores das conferências de interesse
  • Escolha aquelas que tenham artigos que lhe interessem, isto é importante pois os revisores deverão, também, achar a sua pesquisa interessante.
  • Entre as conferências selecionadas escolha as que sejam compatíveis com a qualidade de seus artigos. Não escolha conferências muito fáceis ou muito difíceis.
  • Olhe e avalie a avaliação da conferência no QUALIS da CAPES. Este indicador é uma primeira aproximação sobre o valor de uma conferência.
  • É importante lembrar que algumas vezes um workshop bem focado pode ser muito mais útil para sua carreira acadêmica do que uma grande conferência onde você passará desapercebido.
  • Não se preocupe demais em só tentar conferências internacionais A, há todo um caminho para chegar até lá, o importante é iniciar a publicação.
  • Se você estiver com uma taxa de aceitação de artigos em torno de 1 para 2 ou 3, isto é se para cada três ou duas submissões tiver uma aceitação, então está acertando o grau de dificuldade!
  • Guarde suas milhas de companhias aéreas para poder participar do maior número possível de conferências. 

O caminho para ter os artigos publicados

  • Escreva um relatório de pesquisa e apresente para seu grupo de pesquisa, revise, aperfeiçoe e condense.
  • Submeta o trabalho para um WS nacional. Veja os resultados das avaliações. Se forem boas continue e aprofunde o trabalho, senão descubra o que está errado.
  • Traduza, expanda o trabalho, coloque mais dados experimentais e submeta a uma conferência ou a um WS internacional dependendo da avaliação anterior.
  • Depois de vários artigos em boas conferências, procure formalizar, analisar estatisticamente com mais profundidade os dados, agregue os conteúdos centrais dos artigos (não se esqueça de citá-los),  desenvolva boas conclusões e envie para uma revista qualificada.
  • Tenha uma homepage atualizada com a listagem dos artigos publicados e, se o copyright permitir, o artigo em formato PDF.
  • A participação ativa em congressos é essencial para fazer uma rede social, você precisa saber com antecedência o que os colegas estão fazendo para poder ficar atualizado em suas pesquisas.
  • A seqüência de publicações descrita acima permitirá que você participe de  vários eventos com grau de qualidade ascendente, aproveite as oportunidades para interagir com os conferencistas convidados.

    Se você gostou deste texto e deseja mais informações sobre o estudo ou a carreira acadêmica sugiro que leia o meu eBook “Como Vencer na Universidade”;