Alternativa para a avaliação das pós

 

A avaliação dos programas de pós-gardauação no Brasil está atingindo um nível de impossibilidade de manipulação de dados. Além disto estamos com uma visão estreita sobre os indicadores.  Obtive informações provenientes de uma pessoa muito experiente na avaliação da pós da Finlândia, onde todas as universidades são gratuitas e tem financiamento público. Para avaliar pesquisadores eles consideram um pool de índices, onde H e H-10 e número de citações, são apenas uma pequena amostra deles – eles olham quem publica nos veículos também, o que tem muito peso (assim mesmo eventos pequenos e novos tem a sua chance). A pós é avaliada com base nos pesquisadores, alunos, eficiência no uso dos recursos, produção, e mais importante: tem que haver uma comissão internacional neutra que participa do processo. Ninguém fica no comitê muito tempo … Eles levam a avaliação e o resultado a sério (investem muito esforço nisto), e as universidades também… Está na hora de repensarmos o nosso sistema de avaliação, em minha opinião o problema principal é que todos os indicadores utilizados pelas CAPES saturam, menos o das publicações. Esta é a origem da obsessão pelo uso de um indicador ÚNICO.