Manoel Luiz Leão

 

Por Philippe Navaux

 

O Professor Manoel Luiz Leão, nascido em Porto Alegre no dia 25 de agosto de 1925, está ligado à Universidade Federal do Rio Grande do Sul desde 1944, quando ingressou como aluno da Escola de Engenharia, tendo se diplomado Engenheiro Civil em 1949 e Economista em 1958. Exerceu duas cátedras e recebeu o título de doutor em Engenharia, em 1958, após defesa de tese em concurso de cátedra.

Espírito irrequieto e inovador, culto, poliglota, esteve sempre à frente dos movimentos que permitiram à Universidade dar uma contribuição valiosa à comunidade empresarial, seja pela formação de recursos humanos, seja pela transferência de tecnologia.

Pesquisa Operacional, Informática, Energia, Metalurgia, Administração da Produção e de Pessoal e Organização Industrial foram campos em que atuou com destaque no ensino, na pesquisa e na orientação industrial.

Dentre os trabalhos técnicos que produziu, merecem destaque as duas monografias premiadas nos I e III Concurso Nacional de Monografia sobre Informática, promovidos pela Secretaria Especial de Informática da Presidência da República.

É certamente na área de Informática que se situa sua maior contribuição para o Estado do Rio Grande do Sul e Brasil. No final da década de 60, o Professor Leão presidiu a Comissão Organizadora do Centro de Processamento de Dados da UFRGS, sendo posteriormente nomeado Diretor do novo Órgão.

Na Direção do CPD-UFRGS, definiu e aplicou uma política com forte ênfase na formação de pessoal altamente qualificado, pelo envio de professores e técnicos do CPD para obterem sua formação pós-graduada, em cursos de mestrado.

No final da década de 60, uma das primeiras atividades de extensão desenvolvidas pelo CPD da UFRGS, com muita procura, foi um curso de formação de técnicos em programação na linguagem COBOL, organizada numa parceria com a SUCESU-RS.

Esta equipe de mestres formada no CPD, juntamente com outra, sediada no Instituto de Física, viabilizou a criação do Curso de Pos-graduação em Ciência da Computação e dos primeiros projetos de pesquisa e desenvolvimento em Computação no estado do Rio Grande do Sul, no ano de 1972.

Nos anos seguintes apoiou a criação de várias empresas de Informática, que nasceram protegidas pela Lei de Reserva de Mercado para a área de Informática, oriundas a maioria delas de projetos desenvolvidos no Curso de Pós-Graduação em Ciência da Computação. Hoje o parque de empresas de Informáticas no Estado ascende a mais quarenta, muitas delas originárias da primeira leva de projetos do CPGCC, como a Parks, Digitel, Edisa, Altus, Digicom, CP Eletrônica, etc. Desta forma o estado do Rio Grande do Sul tornou-se um dos principais pólos de informática no Brasil.

Cabe ressaltar, conforme entrevista do Prof. Clesio Saraiva dos Santos, ao Jornal do Comércio de 08 de agosto de 1990, ao cabo de apenas 20 anos, a indústria de eletro-eletrônica surgida diretamente dos laboratórios do Instituto de Informática e do Curso de Pós-Graduação em Ciência da Computação, já era capaz de repor os cofres do Estado, pelo imposto de circulação de mercadorias, o montante total despendido pela União.

Também contribuiu para as empresas Zivi Hercules S/A, Siderúrgica Riograndense S/A, Joaquim Oliveira S/A, Banco Iochpe de Investimentos S/A, Geyer Estaqueamentos Ltda, Banco Maisonave S/A, Lojas Renner S/A, Associação Brasileira de Supermercados.

Em sua longa e intensa vinculação com a Universidade, como docente e dirigente, o Professor Leão marcou de modo indelével sua passagem pela UFRGS, particularmente por suas características pessoais, representadas por uma personalidade forte e pela extrema preocupação com a qualidade dos produtos e serviços sob sua responsabilidade e também pelo zelo e pela exigência com que conduziu a formação dos recursos humanos em sua atuação como docente e como Diretor do CPD-UFRGS.

Sua contribuição mais importante, ao lado de muitas outras, foi a de ter incutido naqueles que se formaram sob sua orientação, uma clara compreensão da importância da qualidade dos produtos e serviços pelos quais se é responsável. Tudo o que era feito devia ser conferido a exaustão, para que se pudesse assegurar que estava isento de erros.

      Em 9 de maio de 1990, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul concedeu ao   Prof. Manoel Luiz Leão o titulo   de Professor Emérito em reconhecimento a relevantes serviços prestados à causa do ensino superior nesta Instituição.