Doutorado em Computação (Stanford III – A seleção para o doutorado)

A Universidade exige que todos os alunos de doutorado devam se candidatar até o final do sexto trimestre de residência. Depois de ter definido um orientador permanente e de ter completado os requisitos de abrangência e cursado três unidades com quatro instrutores (professores que são membros do conselho acadêmico) o aluno pode se candidatar para o doutorado. O aluno deve listar 135 unidades de cursos (concluídos ou planejados). A proposta deve ser aprovada pelo orientador permanente do estudante indicando a adequação acadêmica do programa de estudo proposto. O formulário de candidatura serve como um “contrato” entre o departamento e o aluno. O departamento reconhece que o aluno é um candidato de boa-fé para o doutorado e concorda que o programa apresentado pelo aluno é suficiente para justificar a concessão do título de doutor após a conclusão. O departamento não pode alterar os requisitos de forma unilateral. O estudante pode solicitar ao departamento de alteração do seu programa.

A candidatura ao doutorado expira cinco anos a partir da data da apresentação do formulário de candidatura. Em casos especiais, o departamento pode estender o período de um estudante, mas não tem qualquer obrigação de fazê-lo. O salário é ligeiramente aumentado após a candidatura.

Uma forma de manter os alunos de doutorado durante seu curso e, ainda mais, durante a fase que antecede a aceitação formal como doutorando é a função de Assistente de Ensino, (TA Teaching Assistant) ou Assistente de Pesquisa (RA – Research Assistant). No caso que estamos estudando (doutorado em CC em Stanford) os professores que recebem um aluno no 1º ano de Doutorando, dentro da rotação entre grupos, paga 25% e o departamento paga 25%, de um RAship de 50%. Se o aluno tem uma bolsa, então o pagamento de um RA não é necessário.

A assistente de ensino (TA) é um indivíduo que auxilia um professor com responsabilidades de ensino. Isto dá a oportunidade estudante de pós-graduação para desenvolver suas habilidades de ensino, pois muitos estão em busca da carreira docente. De forma similar um RA têm, também, responsabilidades de pesquisa junto ao grupo que o recebe. Assistentes (TARA)de pós-graduação são estudantes de pós-graduação que trabalham com um contrato temporário em um departamento. Por definição, TA ajudam com aulas, mas muitos estudantes de pós-graduação podem ser o único instrutor para uma ou mais classes. Os TARA têm um salário fixo determinado pelo cada período de contrato (geralmente um semestre ou um ano letivo). No entanto, alunos de pós-graduação são, por vezes, não remunerados e recebem créditos do curso, em troca de sua atividade.

Requisito de Ensino

Durante sua carreira acadêmica, cada aluno deve completar, pelo menos, 4 unidades como assistente de curso (TA) ou teaching fellow (TF) para os cursos de Ciência da Computação que são numerados de 100 ou acima. Para ganhar uma unidade o aluno deve trabalhar 10 horas por semana em um trimestre. Um TA recebe o mesmo pagamento e redução de taxa de matrícula como um RA. Um TF recebe um pagamento um pouco maior, pois é responsável pelo ensino de um curso.


Comentário: Este modelo permite manter os alunos junto aos programas de doutorado e, além disto, permite que somente sejam aceitos para o doutorado aqueles alunos que já demonstraram competência nas disciplinas. O mecanismo de rotação e de cursos em abrangência permite uma formação ampla e adequada a um doutor. Para nós este modelo poderia ser perfeitamente adaptado com a substituição dos professores temporários por TA. Recursos não faltam, é só olhar o valor dispendido com o programa Ciência sem Fronteiras para se verificar que o Brasil tem recursos suficientes para suportar programas ligados ao ensino e formação. Após a seleção para o doutorado o candidato tem mais cinco anos para concluir o curso, aqui o importante é a qualidade e não a produção de doutores por ano.


Posts da série: