Reconhecimento da qualidade de publicações livres


 Para os avaliadores “brazileiros” pensarem. Os artigos gerados por estas pesquisas não vão ficar no “índice restrito” da CAPES. O Bill Gates não vai estar nem aí.

One of the world’s most influential global health charities says that the research it funds cannot currently be published in several leading journals, because the journals do not comply with its open-access policy.

Scientists who do research funded by the Bill & Melinda Gates Foundation are not — for the moment — allowed to publish papers about that work in journals that include Nature, Science, the New England Journal of Medicine (NEJM) and the Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

The bar is a result of the Gates Foundation’s policy in support of open access and open data, which was first announced in 2014 but came into force at the beginning of 2017. “Personally, I applaud the Gates Foundation for taking this stance,” says Simon Hay, a Gates-funded researcher who is director of geospatial science at the Institute for Health Metrics and Evaluation in Seattle, Washington. “The overwhelming majority of my colleagues in global health and fellow Gates grantees with whom I have chatted are highly supportive of these developments” he says. Nature

Livros e canetaO desenvolvimento da Ciência tem sido baseado, em grande parte, no processo de publicação aberta e de revisão dos resultados pelos pares. Este processo é conduzido tradicionalmente em um processo de referring anônimo onde os revisores não são conhecidos publicamente. O objetivo deste processo de avaliação é oferecer um sistema justo (fair) de avaliação. Este sistema está sendo posto em dúvida tanto pela possibilidade de avaliações tendenciosas baseadas no anonimato dos avaliadores, quanto pelo enorme tempo despendido em avaliações e com a consequente falta de qualidade na elaboração das mesmas. Este problema foi abordado, há bastante tempo, já no SIGMOD 2004 no Painel “Rethinking the Conference Reviewing Process.

Por outro lado o “academic reward system” ou sistema de reconhecimento da qualidade do trabalho de pesquisa utilizado pela comunidade acadêmica baseia-se, além do bom processo de revisão pelos pares, na qualidade dos meios em que um pesquisador consegue publicar seus artigos. Complementarmente é considerado o número de citações a estes trabalhos realizadas por outros pesquisadores. Estes três elementos estão correlacionados e definem o fator de impacto de uma publicação. O grave problema é a obtenção destes fatores. Como se trata de um trabalho imenso, o processo tem sido realizado por organizações privadas com fins lucrativos. Por outro lado as publicações de editoras mais conhecidas e com maiores recursos econômicos são muito mais divulgadas, vendidas e portanto mais citadas. Neste ambiente a Publicação Livre têm enorme dificuldade para se afirmar. A utilização de um dos mais conhecidos dos serviços de indexação, o Science Citation Index, um serviço comercial que registra o número de referências a artigos publicados em revistas (ou de serviços semelhantes), pelos órgãos administrativos e de fomento, para a valorização do trabalho dos pesquisadores, é um empecilho importante para a consolidação de publicações de acesso livre.

Precisamos, portanto, desenvolver mecanismos que garantam uma forma pública e de qualidade garantida para a avaliação aberta de artigos. Um sistema de geração, indexação e busca personalizada de conteúdos digitais tem por objetivo auxiliar no processo social de criar conhecimento, aperfeiçoar este conhecimento através da revisão pelos pares e indicar ou receber indicação de conhecimento relevante. Sistemas de avaliação e recomendação de produtos são largamente usados em comércio e marketing, para sugerir produtos ou fornecer informações para ajudar o cliente a decidir a compra. Estes sistemas se baseiam na avaliação dos usuários para avaliar os produtos ou serviços oferecidos; esta mesma metodologia pode ser aplicada para a avaliação de artigos científicos. Neste caso o problema é bastante mais complexo do que na recomendação de produtos materiais, pois é preciso associar à avaliação um indicador de qualidade do referee.  Existe uma métrica bidimensional: a qualidade do texto publicado e a qualidade do autor e dos leitores-comentadores.

Em um modelo de editoração aberta é tratado o problema de reconhecimento de artigos baseado no perfil do autor. A modelagem do perfil do usuário serve para aprimorar o processo de qualificação do autor e permitir um processo de revisão de conteúdos. Para que um sistema possa avaliar a qualidade dos itens considerando o autor, a qualificação dos referees, e o nível de conhecimento necessário para a leitura do item é necessário o acesso a fontes de informação adequadas. O perfil inicial do autor pode ser estabelecido no momento do cadastramento do usuário no sistema. Em um primeiro momento, o sistema procura identificar dados sobre o autor que possam ajudar na sua qualificação. Uma forma de adquirir esses dados é realizar uma consulta no currículo Lattes (CNPq) do autor. Dados sobre a titulação do autor, experiência em projetos de pesquisa e publicações em conferências e periódicos são dados existentes em um currículo Lattes e que podem ajudar na qualificação do autor. Certamente outros indicadores como índices de impacto e número de citações devem ser incluídos nessa métrica. Além disso, uma forma de avaliar a qualidade de um autor é verificar as suas publicações, bem como o número de citações de cada publicação, pois um artigo que é citado por vários outros artigos, possui qualidade superior a um artigo que não possui nenhuma citação. Assim, o sistema pode realizar uma busca por publicações desse usuário e o número de citações a essas publicações. Isso pode ser feito a partir de mecanismos como o Google Acadêmico, que recolhe na Web publicações e suas citações, e as organiza de forma pública e transparente. A evolução é modelada pelo comportamento do leitor/avaliador analisando as avaliações deste usuário e considerando a correlação destas revisões com as análises de outros avaliadores. O objetivo deste processo dinâmico é permitir que o ambiente automatizado avalie a qualidade do artigo baseado na qualificação do autor, nos pareceres de usuários de uma forma similar ao modelo de page ranking, utilizado pelo Google, onde referências de maior qualidade são ponderadas positivamente.

Espero que, algum dia, possamos dispor de Publicações Livres com uma forma pública e  transparente de avaliação de qualidade aceita pela comunidade científica e pelos órgãos administrativos. O desenvolvimento de publicações livres é um fato de extrema importância para a Ciência. A troca livre de informação e a possibilidade de acesso a esta informação, sem que sejam aplicadas tarifas exorbitantes, é a melhor forma de acelerar o processo de desenvolvimento científico e tecnológico. A privatização do conhecimento, por companhias e editoras, tem limitado muito a possibilidade de difusão de novas idéias e de desenvolvimentos recentes. Em uma fase anterior sempre considerou-se que a pesquisa consistia em uma etapa pré-competitiva. Atualmente está ocorrendo uma mudança radical nesse processo, sendo que todo o conhecimento passa a ser considerado propriedade privada. A proposta de publicação livre é uma forma de libertação deste processo. A possibilidade de oferecer a informação a grupos, cada vez maiores, da sociedade pode desencadear um novo renascimento, mas para que isto seja possível é necessário um processo, também aberto, que permita a avaliação da qualidade das publicações.