O Capital no Século XXI {Thomas Piketty} 2013

O Capital no Século XXI

O Capital no século XXI (Le Capital au XXIe siècle) é um livro de economia escrito por Thomas Piketty e publicado pela primeira vez em França em 2013 pela editora Éditions du Seuil. Neste livro, o Autor estuda a dinâmica da repartição dos rendimentos e da riqueza nos países desenvolvidos desde o século XVIII. Para o Autor, a repartição das riquezas constitui um problema político fundamental para a estabilidade das sociedades democráticas modernas, e esta questão é muitas vezes discutida sem números precisos. Este estudo é baseado numa compilação de variados dados históricos disponíveis, por exemplo dos arquivos fiscais franceses. Wikipedia

A Humanidade nunca esteve em um período em que as condições de vida foram tão boas quanto as atuais. As pessoas são mais sudáveis, têm maior esperança de vida e acesso a recursos inimagináveis no passado próximo. Nos últimos 250 anos ocorreu um desenvolvimento incrível, mas por outro lado criou-se um abismo entre as nações ricas e as mais desfavorecidas. Mesmo nas nações ricas a concentração de renda cresceu, nos últimos anos de forma absurda. A automação está destruindo enormes possibilidades de trabalho manual, a Inteligência Artificial consegue substituir milhões de trabalhos de nível intelectual. O resultado é que os lucros dos detentores destas tecnologias aumenta e não são redistribuídos. O trabalho de Piketty mostra, com dados reais, que a desigualdade de renda atinge valores extremos. Nos Estados Unidos, em 2010, os 10% mais ricos detinham 70% do capital com um coeficiente de Gini de 0,73. Os defensores deste modelo concentrador usam o argumento da melhoria global da qualidade de vida para fugir da discussão da concentração de capital. Este é um assunto crítico que, se não enfrentado, vai nos conduzir a problemas extremos.

 

Special Issue on “Bioinformatics and Computational Biology” – Revista de Informática Teórica e Aplicada – RITA

Revista RITA

Special Issue on “Bioinformatics and Computational Biology” – Revista de Informática Teórica e Aplicada – RITA

Dear Colleagues,

We are very pleased to announce a special issue, to be published in 2018, on Bioinformatics and Computational Biology in the Revista de Informática Teórica e Aplicada (RITA). The development of Bioinformatics has greatly accelerated and even renovated the research on Life Sciences, including major breakthroughs in Molecular Biology, Genomics, Biomedical Applications, Biomolecular Structure Modeling, among many other areas. Thus, we propose a special issue of RITA, focusing on such advances. 

Papers must be written in English, according to the RITA formatting guidelines. Only full papers are accepted for submission. Papers will be refereed through a blind process for technical merit and content. 

TOPICS OF INTEREST (not limited to)

-Machine Learning techniques with application in Bioinformatics
-Evolutionary Computation in Bioinformatics
-Multi-Objective Algorithms for Bioinformatics problems(phylogenic inference, molecular docking, protein structure prediction, etc)
-Big Data in Bioinformatics
-Heuristics and Meta-Heuristics in Bioinformatics
-Parallel and High Performance Computing for DNA/Protein sequence analysis, Structural Simulation, etc
-Methods and Computational Strategies for Structural Bioinformatics
-Data Mining Techniques and Algorithms for Bioinformatics
-Computational Solutions for Omics Data
-Information Visualization Techniques in Bioinformatics (biological network analysis, structural bioinformatics, genomics data, etc)

IMPORTANT DATES 

Paper Submission Deadline: Dec, 1, 2017 
First Round Notification: Jan, 5, 2018 
Revision: Jan, 30, 2018 
Final Decision: Feb, 15, 2018
Publication Date: Mar, 15, 2018 

EDITOR AND GUEST EDITORS

Dr. Márcio Dorn 
Editor-in-Chief
mdorn@inf.ufrgs.br
Institute of Informatics, UFRGS Porto Alegre – RS – Brazil

Dr. Rodrigo Ligabue-Baun
rodrigobraun@cbiot.ufrgs.br
Center for Biotechnology, UFRGS Porto Alegre – RS – Brazil 

Dr. Hugo Verli
hverli@cbiot.ufrgs.br
Center for Biotechnology, UFRGS Porto Alegre – RS – Brazil 

Dr. Mario Inostroza-Ponta
mario.inostroza@usach.cl
Dept. Ingeniería Informática, USACH Santiago – Chile

For more infos: http://seer.ufrgs.br/index.php/rita/

Para mestrandos e doutorandos: lista de congressos e assemelhados

ConferênciaA participação em Congressos, Workshops e Escolas é algo de grande importância para o desenvolvimento de redes de contatos e para o intercâmbio de experiências. Passei a oferecer um novo serviço em meu site com algumas (espero que muitas) conferências e assemelhados sobre Banco de Dados e Sistemas de Informação e um pouco de Engenharia de Software. Esta lista é parcial e desenvolvida com curadoria1, selecionando os meios considerados interessantes e tentando evitar a listagem de predadores. Vou procurar atualizar constantemente o aplicativo não esquecendo as conferências e encontros na nossa América Latina. Além disto estou dando ênfase a eventos da SBC. É extremamente importante o desenvolvimento da cooperação regional para criarmos grupos maiores e competitivos. 

  • Lista de eventos: em Eventos encontre conferências, palestras e cursos ou os Deadlines.

[1] Fazer curadoria de arte é o processo de organização, cuidado e montagem de uma exposição artística, formada por um conjunto de obras de um ou de vários artistas, a partir da seleção prévia feita pelo curador. O mesmo se aplica à organização de outras coleções.

A CAPES passa a exigir o ORCID nas submissões, você tem um?

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) solicitará, dos candidatos a bolsas e financiamentos de seus programas internacionais, um código de cadastro na ORCID (Open Research and Contributors Identification, ou Identificação Aberta de Pesquisa e Colaboradores).

Gratuito, o número ORCID é um “nome” digital permanente para identificação de pesquisadores. O código tem 16 dígitos e é único para cada pessoa. Essa característica impede ambiguidades na identificação de autores e colaboradores em publicações ou em instituições. Seu funcionamento é semelhante ao Digital Object Identifier (DOI), código para objetos como artigos científicos, teses e dissertações.

A adoção do código é uma tendência mundial das organizações ligadas a pesquisa. Em 2015, um grupo de grandes editoras científicas passou a exigir o código no processo de submissão de artigos científicos. Isso é possível porque o identificador pode ser utilizado para inscrição em processos seletivos e submissão de trabalhos em periódicos acadêmicos em diversas plataformas.

Quem se inscreve na ORCID, além de receber o código, conta com um espaço para construir um perfil de sua produção e sua trajetória profissional, semelhante a um currículo.

Com a adoção do identificador, a CAPES pretende aperfeiçoar requisitos de seleção e a avaliação de resultados dos programas.
“Queremos acompanhar a evolução acadêmica daqueles que recebem apoio financeiro. Por meio do identificador ORCID, conseguimos relacionar pesquisadores a seus trabalhos de modo confiável, de maneira a ter uma ideia mais precisa da eficácia de nossas ações”, explica a diretora de Relações Internacionais da Capes, Concepta Mcmanus.

No entanto, a inscrição no ORCID não vai substituir o Currículo Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que também é exigido nas candidaturas aos programas internacionais da CAPES.

Um monstroNão, um ORCID não é um dos fantásticos animais do mundo da magia que encontramos no filme “Animais Fantásticos e Onde Habitam”. Mas é um objeto ainda extranho e pouco conhecido. Vocês têm CPF, RG e outros códigos de identificação. O CNPq exige o CPF para os CV Lattes, mas o que isto significa no resto do mundo? A desambiguação de nomes de autores é um problema bem conhecido em mineração de dados. Para resolver este problema foi criado o código ORCID que é uma forma de identificar univocamente quem você é para a comunidade científica. Você já tem um? Veja, a seguir, a introdução ao assunto. Logo depois crie seu ORCID. O meu é 0000-0002-9166-8801.

Como pesquisadores e acadêmicos, vocês enfrentam o constante desafio de distinguir suas atividades de pesquisa de outras pessoas com nomes semelhantes. Você precisa ser capaz de anexar de forma fácil e única sua identidade a objetos de pesquisa como conjuntos de dados, equipamentos, artigos, histórias na mídia, citações, experimentos, patentes e cadernos. Conforme você colabora entre disciplinas, instituições e fronteiras, tem de interagir com um crescente número e diversidade de sistemas de informação de pesquisa. Sempre ficar inserindo dados pode levar tempo e muitas vezes é frustrante.

O ORCID é um esforço orientado pela comunidade, aberto e sem fins lucrativos para criar e manter um registro de identificadores únicos de pesquisadores e um método transparente de conectar as atividades e resultados de pesquisas a estes identificadores. O ORCID é único em sua capacidade de alcance interdisciplinar, setores de pesquisa e fronteiras nacionais. É um ponto de encontro que conecta pesquisadores e pesquisa através da inserção de identificadores ORCID nos fluxos de trabalho chave, como manutenção de perfil de pesquisa, envio de manuscritos, solicitação de bolsas e solicitações de patentes.

O ORCID fornece duas funções principais: (1) um registro para obter um identificador único e gerenciar o registro das atividades e (2) APIs que suportam a comunicação e autenticação de sistema a sistema. O ORCID torna seu código disponível sob uma licença de fonte aberta, e irá postar um arquivo de dados públicos anual sob uma renúncia CC0 para baixar grátis.

O Registro ORCID está disponível sem nenhum custo a indivíduos que mantêm um identificador ORCID, gerenciam seu registro de atividades e pesquisam por outros no Registro. As organizações podem se tornar membros para conectar seus registros aos identificadores ORCID, atualizar os registros ORCID, receber atualizações do ORCID e registrar seus colaboradores e alunos para identificadores ORCID.

Os registros ORCID mantêm informações não sensíveis como nome, e-mail, organização e atividades de pesquisa. O ORCID entende a necessidade fundamental dos indivíduos de controlarem como seus dados são compartilhados e fornece ferramentas para gerenciar a privacidade dos dados. Tomamos medidas para proteger suas informações, consistentes com os princípios estabelecidos em nossa Política de Privacidade, que possuem a intenção de estarem em cumprimento com os Princípios Safe Harbor Principles emitidos pelo Departamento de Comércio dos EUA.

Crie seu código!

New paper: A systematic mapping on adaptive recommender approaches for ubiquitous environments

 

Computing

pp 1–27

  • Guilherme M. Machado
  • Vinicius Maran
  • Lorayne P. Dornelles
  • Isabela Gasparini
  • Lucinéia H. Thom
  • José Palazzo M. de Oliveira

Article: DOI: 10.1007/s00607-017-0572-7

Abstract

Recommender systems were first conceived to provide suggestions of interesting items to users. The evolution of such systems provided an understanding that a recommender system is currently used to diverse objectives. One of the current challenges in the field is to have approaches of recommendation that go beyond accuracy metrics. Since it is a very recent interest of the community, this review, also characterized as an exploratory search, provides an overview of the techniques in the area that tries to look beyond accuracy. More specifically, one of the characteristics that would provide such evolution to these systems is the adaptation. This review is then performed to find the existence and characteristics of such approaches. Of the total 438 papers returned in the submission of the search string, 57 papers were analyzed after two filtering processes. The papers have shown that the area is little explored and one of the reasons is the challenge to validate non-accuracy characteristics in such approaches.

Keywords

Systematic mapping Recommender systems (RS) Adaptive systems (AS) Ubiquitous computing Context awareness 

Mathematics Subject Classification

68-02 68U35 68M99 

Volume 24 Número 1 de 2017 da Revista de Informática Teórica e Aplicada (RITA)

Sumário

Tutoriais

Luís Felipe Bilecki, Marcelo da Silva Hounsell, Adriano Fiorese
11-40
 

Artigos

Douglas Oliveira, Lidiane Pereira, Rodrigo Luis de Souza da Silva
41-58
Félix Carvalho Rodrigues, Eduardo Xavier
59-90
Leonardo Castro Botega, Allan Cesar Moreira de Oliveira, Regina Borges de Araújo
91-120
Gustavo de Paula Avelar, Murilo Coelho Naldi
121-149
Lucas Ferrari Oliveira, Luiz Alberto Bordignon, Jeovane Honório Alves
150-167