Corte de verbas da FAPESP

Certamente estamos passando por uma fase difícil. Estive olhando o perfil de nossos representantes na Câmara e no Senado; não o fiz com os de São Paulo mas não deve ser muito diferente. Este perfil é triste em nível de formação e de ligação com a Academia e a Ciência. Em períodos de vacas magras (não vou discutir o motivo de estarmos nesta situação) precisamos destas ações pontuais como a da SBPC e da Academia de Ciências do Estado de São Paulo. Mas,além disto, precisamos ter mais visibilidade, gastar tempo junto aos políticos e à Sociedade mostrando o retorno da pesquisa e formação para a o País. Precisamos criar uma forte pressão e visibilidade. Há muito tempo, o saudoso Clésio fez um documento mostrando quanto tinha sido investido na Informática da UFRGS e quais os retornos monetários advindos das empresas fundadas por nossos ex-alunos. Para mim este é o caminho, discussões de cunho político-partidário só levarão a choques sem resultados práticos, ou até com resultados contra-producentes. Não nos interessa qual grupo está no Governo, o que precisamos é que TODOS tenham a visão que apoiar a formação e a pesquisa é importante eleitoralmente. Isto só ocorrerá se a Sociedade entender esta necessidade e valorizar o político que tomar a posição de apoio.

Prezados assinantes da lista da SBC

No finalzinho de dezembro, as lideranças e alguns deputados da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo propuseram um corte das verbas da FAPESP, no
orçamento do estado anual de 2017, no valor de R$ 120 milhões. Este corte, aprovado pelo governo estadual na publicação do orçamento, destinaria este valor a reestruturação dos institutos de pesquisa do estado.

Sem querer entrar no mérito da destinação do valor cortado, isto cria um precedente muito grave. Em primeiro lugar, fere o artigo 271 da constituição estadual, que define que a FAPESP deve receber 1% (minimo) – com o corte, passaria a receber 0.89%. Esta ‘e a primeira vez nos mais de 50 anos da FAPESP que este artigo não honrado.

Em segundo lugar, prejudica projetos em andamento e o financiamento a futuros projetos. Em seus 54 anos de existencia, a FAPESP financiou mais de 200.000 projetos de pesquisa em todas as areas do conhecimento, sempre utilizando o sistema de avaliacao por pares e merito cientifico. Os projetos e pesquisadores financiados em toda a historia da FAPESP podem ser pesquisados online – www.bv.fapesp.br

A Academia de Ciências do Estado de São Paulo lançou uma moção online que esta sendo apoiada por pesquisadores de todo o Brasil.

Verifiquem a moção
Obrigada pelo apoio ao desenvolvimento cientifico e tecnologico do Brasil

Claudia Bauzer Medeiros
ex-presidente da SBC (2003-2007)